Após falas sobre drogas, secretário de Segurança Pública pode ser exonerado a qualquer momento


Integrantes do alto escalão das polícias Civil e Militar dão como certa a exoneração do secretário de Segurança Pública, Ricardo Mandarino, desgastado pelo avanço veloz da violência em Salvador e, sobretudo, por recentes declarações sobre o uso de drogas. As informações são do jornalista do jornal Correio, Jairo Costa Júnior.

Oficiais com cargos de comando na PM e delegados graduados da Civil garantem que o governador Rui Costa (PT) já estaria decidido a demitir o chefe da SSP, mas procura saídas honrosas para reduzir danos ainda maiores à imagem de Mandarino. A hipótese mais provável, afirmam as fontes, seria uma exoneração a pedido por questões de saúde. Na bolsa de apostas, o nome do atual subsecretário da pasta, Hélio Jorge, desponta como favorito para assumir o cargo.

Fragilizado pela crescente onda de crimes, Mandarino acelerou o passo rumo à porta de saída ao se posicionar publicamente a favor da descriminalização da maconha, defender o uso recreativo e elogiar a capacidade da droga para, segundo ele, aflorar a criatividade e desenvolver a emancipação mental do usuário.

Interlocutores do governo junto ao andar superior das forças de segurança no estado alertaram o entorno de Rui Costa de que a permanência de Ricardo Mandarino na SSP deixou de ser problema apenas político e eleitoral. Em síntese, a imensa maioria dos policiais se recusa a reconhecer o secretário como autoridade central e alguém capaz de estancar a criminalidade.

Com informações da Coluna Satélite

19 visualizações0 comentário