Bahia: Mulheres são presas na 2º fase de operação contra empresas do setor supermercadista.


Mulheres são presas na 2º fase de operação contra empresas do setor supermercadista suspeitas de sonegação na BA.

Esposa e advogada de investigado foram presas neste sábado (1º). Investigados criaram empresas em nome de 'laranjas' para reduzir ou suprimir o ICMS devido, totalizando mais de R$ 12 milhões sonegados aos cofres públicos.


01/05/2021


Duas mulheres foram presas na cidade de Irecê, neste sábado (1º), na segunda fase da 'Operação Marca-Passo', que investiga a prática de sonegação fiscal por grupo que atua no setor de supermercados no município localizado no norte da Bahia.

Operação cumpre mandados contra empresas do setor supermercadista suspeitas de sonegar R$ 12 milhões De acordo com o Ministério Público do Estado (MP-BA), as presas são uma advogada e a esposa do homem apontado como líder do esquema criminoso. Ele é investigado na operação, que teve a primeira fase deflagrada na quinta-feira (29).

Acompanharam os cumprimentos das prisões, um promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (GAESF) e um delegado do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (DRACO).

De acordo com o MP-BA, no curso das investigações, foram interceptadas, com autorização judicial, conversas telefônicas mantidas entre a advogada e a esposa do empresário preso, nas quais os dois combinavam ações tendentes a ocultar bens, blindar valores e destruir provas, mesmo após a deflagração da primeira fase da operação e a decretação do sequestro dos bens do grupo empresarial e de seus sócios.

Deflagrada na última quinta-feira, a operação cumpriu cinco mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária. A fraude consistia na criação de empresas em nome de laranjas com o intuito de reduzir ou suprimir o ICMS devido, totalizando mais de R$ 12 milhões sonegados aos cofres públicos.

4 visualizações0 comentário