DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM

Dificuldades de Aprendizagens

O que o Professor (a) precisa saber sobre Dificuldades de Aprendizagem

É um transtorno permanente que afeta a maneira pela qual, os indivíduos com inteligência normal e acima da média selecionam, retém e expressam informações. As informações que entram ou que saem podem ficar desordenadas conforme viajam entre os sentidos e o cérebro. Para (SMITYH, STRICK, 2001, P.14) dificuldades de aprendizagem são “… problemas neurológicos que afetam a capacidade do cérebro para entender, recordar ou comunicar informações”.

Surgimento

As dificuldades de aprendizagem surgem, por exemplo, a partir de:

  1. Mudanças repentinas de escola, de cidade, de separações;

  2. Problemas socioculturais e emocionais;

  3. Desorganização na rotina familiar, excesso de atividades extracurriculares, pais muito ou pouco exigentes;

  4. Efeitos colaterais de medicações que causam hiperatividade ou sonolência, diminuindo a atenção da criança;

  5. Inadequação metodológica quando o conteúdo estar além do que a criança já sabe, ela frequentemente fica confusa, é impulsiva, hiperativa ou desorientada, tornando-se frustrada e rebelde, deprimida, retraída ou agressiva.

O professor deve estar preparado para identificar possíveis distúrbios/dificuldades no processo de aprendizagem, enfocando aspectos orgânicos, afetivos e pedagógicos, durante todo o processo.

O diagnóstico e a intervenção das dificuldades de aprendizagem

O diagnostico envolvem interdisciplinaridade em pelo menos quatro áreas: Pedagogia, Neurologia, Psicopedagogia e Psicologia, para possibilitar a eliminação de fatores que não são relevantes e a identificação da causa real do problema.

Características dos problemas de aprendizagem

As crianças que têm problemas de aprendizagem, com frequência apresentam características e/ou deficiências em:

Leitura (visão)

  1. A criança se aproxima muito do livro;

  2. Diz palavras em voz alta;

  3. Assina, substitui, omite e inverte as palavras;

  4. Não lê com fluidez;

  5. Tem pouca compreensão na leitura oral;

  6. Omite consoantes finais na leitura oral;

  7. Tende a esfregar os olhos e queixar-se de que coçam;

  8. Apresentam problemas de limitação visual, soletração pobre, entre outras.

Escrita

  1. A criança inverte e troca letras maiúsculas;

  2. Não deixa espaço entre palavras e não escreve em cima das linhas;

  3. Pega o lápis desajeitado e não tem definido se é destro ou canhoto;

  4. Move e coloca o papel de maneira incorreta;

  5. Trata de escrever com o dedo;

  6. Tem o pensamento pouco organizado e uma postura pobre, etc.

Matemáticas

  1. O aluno inverte os números;

  2. Tem dificuldade para saber a hora;

  3. Pobre compreensão e memória dos números;

  4. Não responde a dados matemáticos, etc.

Em relação ao aspecto cognitivo:

Dificuldade em aprender cores

Dificuldade nos trabalhos de coordenação (cobrir pontinhos, pintar, etc.)

Dificuldade durante o processo de alfabetização (falha na identificação das letras e seus sons)

Dificuldade para memorizar datas, dias da semana, meses do ano, número de telefones.

Dificuldade para decorar tabuadas, fórmulas e músicas.

Dificuldade para reconhecer ritmos diferentes

Pouca objetividade na resolução de problemas simples

Dispersão e desatenção

Trocas de letras

Dificuldade para generalizar as aprendizagens

Desorganização com o material escolar

Lentidão para realizar os deveres de casa

Em relação ao aspecto emocional/comportamental

Baixa autoestima

Elevado nível de ansiedade

Não se percebe como capaz de aprender, sempre solicita ajuda do professor ou da família.

Desvaloriza-se e desvaloriza suas produções

Não tem persistência nem autonomia

Frustra-se com facilidade

É uma criança inquietas, costuma perturbar a classe. Tende ao isolamento, não tem a sensação de pertencer a um grupo.Possui pouca competência social, com um atraso de 2 a 4 anos em relação aos seus colegas.

Como trabalhar as dificuldades de aprendizagem na escola

Crianças com dificuldades de aprendizagem geralmente apresentam desmotivação e incômodo com as tarefas escolares gerados por um sentimento de incapacidade, que a leva a frustração. A seguir as principais Orientação de como levar a criança aprendiz a elencar sua aprendizagem:

  1. Valorizar o que a criança sabe;

  2. Fortalecer sua autoestima.

  3. Mostrar para a criança o quanto ela e boa em tarefas nas quais ela tem habilidade;

  4. Incentivá-la a desenvolver outras tarefas nas quais ela não é tão boa, é fundamental.

  5. Repetir sempre as informações

  6. A criança deve sentar sempre próxima do professor;

  7. Negritar as principais informações

Para Fonseca (1995), a criança com dificuldade de aprendizagem não deve ser “classificada” como deficiente. Trata-se de uma criança normal que aprende de uma forma diferente, a qual apresenta uma discrepância entre o potencial atual e o potencial esperado. As escolas precisam fornecer às pessoas com dificuldades de aprendizagem uma educação apropriada, incluindo bons sistemas escolares, bons profissionais que se dediquem ao diagnóstico cuidadoso e ao atendimento educacional especializado para que haja qualidade no ensinar e no aprender.

Referência

FONSECA, V. da. Introdução às dificuldades de aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

http://noticias.terra.com.br/educacao/interna/0,,OI3146542-EI8266,00.html

http://www.personare.com.br/seu-filho-tem-dificuldade-para-aprender-m2124

http://br.guiainfantil.com/aprendizagem/101-problemas-de-aprendizagem-das-criancas.html

#DIFICULDADEDEAPRENDIZAGEM

1 visualização

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Bahia Informa- O site que mais cresce na Bahia. #REDELSP